quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Paranoia - 2º Conto Completo


   Você é muito... paranoico?

    Robert, sem dúvida alguma, responderia "sim" à pergunta acima, pois ele tem um medo desfundamentado e exagerado tipicamente paranoide. Ele tem medo de um fogão!
    Engraçado? Curioso? Tolo? É o que sua esposa, Julia, também acha. Até que descobre que deve deixar de lado seus próprios medos e auxiliar Robert no enfrentamento dos seus. Desse modo, descobrirá que o medo, não importando de que espécie seja, jamais deve ser subestimado.

   Muito mais psicológico do que o conto anterior, Blackhills, Paranoia nos toma durante 15 páginas para um passeio por entre a mente humana e seus temores, bem como pelo coração, dramas conjugais e outras nuances humanas.
   Elementos sobrenaturais estão ausentes deste 2º conto, adianto - o que pode ser uma boa notícia para os mais medrosos que justificaram a ausência de leitura de Blackhills por questões de coragem. O terror que nele é encontrado, é de cunho psicológico - o que pode ser bem mais assustador do que criaturas sombrias. Protagonizam na narrativa dois dos maiores  monstros da história: o medo e o ser humano.

   Sinto-me na obrigação de dar algum esclarecimento para meu público leitor acerca da demora na divulgação deste segundo conto.
    Em primeira instância, lançarei mão da mais usual e  descarada desculpa da humanidade: a falta de tempo. Porém, estou sendo honestamente sincero quando assim o digo. Sou estudante do terceiro ano do ensino médio, em uma instituição federal (IFAL) que pega tão pesado quanto uma faculdade de mesma área, como se não fosse o bastante, faço estágio paralelamente, para poder ter alguma minguada renda. Ao todo, restam-me 3 míseras horas dos meus dias para que eu desempenhe demais atividades, como escrever . Até seria razoável, se eu não estivesse suficientemente cansado para usar esse tempo para dormir - e acordar no dia seguinte, continuando o ciclo.
   Os fins de semana são igualmente inúteis, tenho que ocupar-me com tarefas da próxima semana ou eventualidades decorrentes. Para piorar a situação, no lar que estou morando temporariamente (afim de poder concluir o estágio, já que o efetuo em outra cidade que não a minha), não há computador para que eu possa finalizar meus contos. Por isso, peço perdão pela demora, ao tempo que peço também que ponderem, pois minha rotina não é nada suave.

    Enfim, apesar dos pesares, Paranoia está aí! Espero que leiam, gostem, desgostem, opinem e tudo o mais, assim como fizeram com o conto anterior que teve uma grande repercussão (para conferir tal repercussão, visite a página Ecos). O apoio de vocês é imprescindível, seja elogiando ou xingando. 
   
 Faça download de Paranoia agora.
   
   Se você ainda não leu Blackhills, ainda poderá lê-lo, clicando aqui. Ele ficará disponível para download até os dias finais, assim como todos os contos. Ah! E por falar em Blackhills, uma nova enquete foi criada, pedindo a sincera opinião de quem o leu. Vota lá!
   Aguardemos o próximo conto, tomemos cuidado com nossos fogões e que Deus nos abençoe!

                                                                                                              Elton SDL

13 comentários:

  1. Eba!!! :D

    Estou feliz com a postagem.

    Já li "Paranoia" e adorei *-* (mais comentários quando fizer a resenha)

    Espero que todos adorem também.

    Parabéns querido! :)

    Te amo! ♥

    Beijos

    http://www.mundodaelizabeth.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Finally, finally, my friend!

    Quando li as sinopses dos contos, Paranóia me atraiu muito. Blackhills foi muito bom e espero bastante desse.
    De um certo modo, todo terror é psicológico (o sentimento terror). Quando se foca na mente, a estória tende a se tornar mais direta, cruel e real.
    Ainda não li, estou bem ansioso. Aguarde minha opnião.
    Se tudo é mente, então vamos lá!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelo apoio e força, sempre, Ana, meu amor.
    Fico contente que tenha gostado.

    E, Jonas... finalmente, né? rsrs!
    Concordo com o que você disse, em relação ao terror. Espero que possa gostar tanto desse conto quanto do anterior.

    Grato aos dois!

    ResponderExcluir
  4. As dificuldades fazem da tua obra ainda mais colossal e genuína.
    Em frente sempre e boa sorte Elton.
    Abraço,

    ResponderExcluir
  5. Agradeço pelas palavras, amigo!
    É isso, além das pedras, as pétalas.
    Vamos em frente! Carry on!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Muito boa as suas crônicas Elton! Estou divulgando seu blog para meus colegas!!! Muito criativo!
    Jéssica(minicurso ifal)

    ResponderExcluir
  7. Obrigado, Jéssica! Agradeço pelo apoio e divulgação!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  8. Eu adoro Paranóia, mas vou comentar aqui sobre Elton. Com a sua vida ocupada e corrida, você é um herói por conseguir escrever. Sei porque passo por algo parecido... é terrível ter o desejo de escrever, satisfazer-se com a escrita mas não ter possibilidade de executá-la como gostaria. É como um grande maratonista que quebra as pernas... um grande talento em potencial que se perde e deixa de existir por exigências (talvez até inúteis) de um mundo capitalista. Deveríamos ter mais tempo para arte. Se o Ministério da Justiça financiasse mais artistas como você e eu, não precisaríamos perder tanto tempo em um emprego ou estágio e poderíamos escrever mais, correr mais atrás de apoio e eventos culturais que promovessem a literatura. Mas não, o Ministério da Cultura consegue gastar 13 milhões de reais de forma a favorecer 1 ou 2 artistas que no parâmetro geral da cultura brasileira, não favorecerá em nada para seu crescimento. Vaias para o Ministério da Cultura e aplausos para ti Elton, continue assim meu caro, à arte pela arte, é só o que vale a pena!

    www.umlugarescuro.site.com.br

    ResponderExcluir
  9. Leo, meu caro amigo, agradeço por ter gostado do conto e por suas palavras, de forma geral.
    Saiba que você também pode ser considerado um herói, um mártir, assim como todos os escritores que ignoram as adversidades de uma realmente inútil sociedade capitalista e atendem ao coração e ao frenético desejo de escrever. Desejo latente e constante.
    É uma pena que o Ministério da Cultura e os órgãos públicos em geral, não estejam exercendo verdadeiramente seus fundamentais papeis. Precisamos de um estado que desempenhe serviços em prol de homens, da humanidade e não de máquinas.
    Vaias ao Ministério da PseudoCultura e aplausos a você, Zegur, por ser tão verdadeiro e tão... artista.

    ResponderExcluir
  10. oi, elton.
    para publicar no bar do escritor, envie um email com o texto e a tua biografia para bardoescritor@gmail.com


    []s

    ResponderExcluir
  11. Fiz o download de BLACKHILLS e vou começar a ler!! :)
    Em breve tem comentário lá no meu blog!
    Beijos
    Gisele Carmona
    http://giselecarmona.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Olá Elton!
    Já terminei de ler o conto e coloquei um comentário sobre ele lá no meu blog!
    Beijos
    Gisele Carmona
    http://giselecarmona.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Ao jovem escritor

    O conto paranoia representa um mergulho sombrio da mente humana, se a nossa mente é aquele “dispositivo” que domina todo o nosso corpo, ações, desejos e sensações, percebe-se o quanto somos frágeis - quando sem desejarmos que aconteça – somos afligidos pelas compulsões, paranoias, alucinações, síndromes e etc.
    É como se por um simples estalar dos dedos, surgem os pequenos desvios psíquicos de comportamentos atípicos para os padrões de normalidade. É um momento delicadíssimo, instala-se o caos na vida pessoal, social e mental do sujeito que se encontra entre a linha tênue do equilíbrio e desequilíbrio de suas faculdades mentais. Se diretamente o sujeito é atingido pelo seu problema, indiretamente a família e os amigos compartilham de sua penosa luta contra seus “demônios” que nem sempre é vitoriosa.
    O seu conto pode lhe render a produção autoral de um excelente livro.
    E o que é aparentemente, um simples conto poderá se tornar um capítulo de um livro chamado: Paranoia.
    #ficaadica
    XerinhOos Sevilhanos.

    ResponderExcluir

Grato por comentar!

O que estou lendo agora?

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More